January 21, 2020

BRASILEIROS AINDA SE SENTEM CONFUSOS COM INFORMAÇÕES SOBRE CIGARRO ELETRÔNICO E TABACO AQUECIDO, APONTA PESQUISA GLOBAL DA PMI

release davos
Estudo“Unsmoke Your Mind” é lançado com o objetivo de responder aos questionamentos sobre a visão de um futuro sem fumaça

Davos, Suíça – 21 de janeiro de 2020 – Enquanto defende maior transparência, uma avaliação científica mais objetiva e um debate aberto sobre a criação da regulamentação adequada para alternativas ao cigarro, a Philip Morris International Inc. (PMI) (NYSE: PM) divulgou hoje o White Paper intitulado “Unsmoke Your Mind: respostas pragmáticas a perguntas difíceis sobre o futuro sem fumaça”.  

Com base em uma pesquisa independente solicitada pela PMI e realizada pela Povaddo com 17.251 adultos de 21 a 74 anos, em 14 países, entre eles o Brasil, o documento analisa as opiniões públicas dos cenários regulatório, científico e corporativo, já que a PMI se concentra no avanço de produtos sem fumaça para substituir os cigarros o mais rápido possível.

O material aponta que, após lerem notícias veiculadas na imprensa sobre cigarro eletrônico e tabaco aquecido, 46% dos brasileiros entrevistados se sentiram confusos. Os dados do Brasil demonstram ainda que 86% dos adultos fumantes consultados consideraria fazer a troca caso tivessem acesso e clareza de informações referentes a esses produtos.  

No Brasil, a empresa tem estimulado o debate em torno do tema, tanto que promoveu recentemente uma campanha institucional de esclarecimento denominada Precisamos Falar. Os dados do estudo reforçam isso: 80% dos entrevistados entendem que os fumantes devem ter acesso, assim como informações corretas, aos produtos sem combustão. Além disso, 95% dos entrevistados também acreditam que as decisões relacionadas a políticas de saúde pública devem ser tomadas de forma aberta e transparente.  

“Um dos nossos compromissos é justamente fomentar o debate em torno das alternativas ao cigarro convencional, embora seja importante ressaltar que elas não são isentas de risco. A nossa mensagem deve ser clara: se você não fuma, não comece. Se fuma, pare. Mas se não parar, saiba que existem alternativas melhores que o cigarro em mais de 50 países, sendo que no Brasil ainda não. E essa transição é o que chamamos de Futuro sem Fumaça, que está sendo construindo globalmente pela companhia”, comenta Fernando Vieira, diretor de Assuntos Externos da Philip Morris Brasil. 

Como as alternativas sem fumaça estão cada vez mais nas manchetes, o White Paper “Unsmoke Your Mind” explora questões que o público tem sobre o papel desses produtos atualmente, abordando especificamente os seguintes temas:
We & Me: As sociedades em geral realmente se importam com os fumantes?
Science Illuminates, Science Blinds: Os consumidores levam a sério as evidências científicas ou consideram a ciência como apenas mais um truque de marketing?
The Age of Mistrust: Como a (des)confiança afeta as atitudes em relação às alternativas sem fumaça?
The Promise and the Threat of What’s New: Como ter certeza de que as inovações serão melhores do que as opções atuais?
Big Isn’t Always Bad: Existe alguma alternativa séria para o grande grupo de 7,8 bilhões de pessoas fumantes?

“As alternativas sem fumaça oferecem uma abordagem mais sensata à saúde pública”, disse Jacek Olczak, diretor de Operações da PMI. “Com a baixa confiança nos governos e organizações por parte da população, é essencial basear a tomada de decisões em fatos e conhecimentos científicos. Para a companhia, essa pesquisa reforça a importância da transparência no compartilhamento da ciência por trás dos nossos produtos sem fumaça, tornando-a aberta a todos: governos, agências reguladoras, cientistas, acadêmicos ou o público em geral.”

Embora seja melhor deixar o tabaco e a nicotina ou nunca começar a usá-los, a realidade é que existem milhões de fumantes adultos que, de outra forma, continuariam fumando na ausência de uma alternativa melhor. A ciência e a tecnologia criaram alternativas melhores e essas pessoas devem ter acesso a elas. Negar-lhes o acesso a esses melhores produtos científicos significa que elas continuarão fumando cigarros.

Para ler o documento na íntegra, visite o site www.pmi.com/UYMwhitepaper.

Metodologia da pesquisa
A PMI contratou a Povaddo LLC para realizar uma pesquisa online com 17.251 homens e mulheres, de 21 a 74 anos, em 14 países: Argentina, Austrália, Brasil, Alemanha, Hong Kong, Israel, Itália, Japão, México, Holanda, Noruega, Rússia, Estados Unidos e Reino Unido. A pesquisa foi realizada de 4 a 19 de dezembro de 2019 nos idiomas dos participantes. O estudo apresenta uma margem de erro geral de +/- 0,75%, com intervalo de confiança de 95%.

Sobre a Philip Morris Brasil
Afiliada da Philip Morris International (PMI) que está liderando a transformação na indústria do tabaco para criar um futuro sem fumaça e substituir os cigarros por produtos sem fumaça, para o benefício de adultos que continuariam fumando, para a sociedade, para a companhia e para os investidores. Líder no mercado de tabaco, dedicada à fabricação e venda de cigarros, produtos de aquecimento de tabaco, dispositivos e acessórios eletrônicos, a Philip Morris Brasil atua no País há 45 anos. A companhia está liderando uma transformação no setor para criar um futuro sem fumaça, substituindo os cigarros por alternativas sem fumaça que, embora não sejam isentas de riscos, são uma escolha muito melhor do que continuar fumando. Com áreas multidisciplinares em desenvolvimento, instalações de última geração e comprovação científica, a PMI visa garantir que seus produtos sem fumaça atendam às preferências dos adultos fumantes e aos rigorosos requisitos regulatórios, para benefício da sociedade, da empresa e de seus acionistas. O portfólio da PMI inclui tabaco aquecido e produtos que contêm nicotina. No final de 2019, a estimativa da PMI era de que aproximadamente 9,7 milhões de adultos fumantes em todo o mundo parariam de fumar e migrariam para seu produto de tabaco aquecido, IQOS, atualmente disponível para venda em mais de 50 mercados.