August 19, 2021

PHILIP MORRIS BRASIL LANÇA PRIMEIRO RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE COM FOCO EXCLUSIVO NAS INICIATIVAS DESENVOLVIDAS NO PAÍS

JPG-1600width-Brazil seed beds  20
Operação brasileira já havia sido destaque nas duas edições do Relatório Integrado, publicação global da Philip Morris International 

A Philip Morris Brasil (PMB) publica, nesta quinta-feira (19/8), o seu primeiro Relatório de Sustentabilidade, contendo exclusivamente o posicionamento, desempenho e metas da operação brasileira, em relação à gestão social, ambiental e de governança (ESG). O documento demonstra o alinhamento com a proposta global da Philip Morris International, na construção de um futuro sem cigarros e o comprometimento com o desenvolvimento sustentável de toda a sua cadeia de valor.
 
Em meio à grande transformação vivida pela companhia, na busca por um futuro sem fumaça, o Relatório de Sustentabilidade Brasil mostra o empenho corporativo para contemplar os anseios de uma sociedade diversa, conectada e que exige do setor privado soluções concretas para os desafios da atualidade e a construção de modelos de negócio sustentáveis.
 
Nesse trabalho, a PMB tem atuado sobre quatro pilares estratégicos: inovar para melhores produtos, operar com excelência, cuidar das pessoas com quem trabalha e proteger o meio ambiente. O documento apresenta a governança desses pilares, para que as metas de curto, médio e longo prazos sejam alcançadas, por meio de uma gestão ambiental eficaz, em todas as operações da empresa e em sua cadeia produtiva.
 
“Embora a eliminação dos cigarros e o desenvolvimento de alternativas menos nocivas e cientificamente substanciadas sejam as nossas principais contribuições, podemos também gerar um impacto positivo por meio da forma como conduzimos nossas operações, especialmente no Brasil. O País possui uma das mais representativas cadeias produtivas do tabaco, com grande destaque no cenário internacional do agronegócio”, destaca Guatimozin Santos, gerente de Relações Institucionais da Philip Morris Brasil.
 
Desempenho da operação brasileira

A integração dos princípios de sustentabilidade à estratégia do negócio coloca a operação brasileira em destaque junto às demais filiadas da Philip Morris International. Um exemplo é a gestão dos recursos hídricos da fábrica de Santa Cruz do Sul (RS), que obteve uma redução de 63% no consumo de água utilizada no processo produtivo, entre os anos de 2010 e 2020. Esse desempenho, somado a uma série de outras iniciativas na região, levaram a unidade a ser a primeira de toda a PMI a receber a certificação da Alliance for Water Stewardship (AWS), em 2018, e em processo de recertificação em 2021.
 
Os resíduos gerados pelas operações fabris também possuem altíssimo índice de reciclabilidade, com índice de 97%. Da mesma forma, foi concluída a implementação do projeto de zero destinação de resíduos para aterros sanitários. Essa conquista de 2020 é resultado do esforço na busca por formas alternativas de tratamento dos resíduos, sem a geração de passivo ambiental.
 
Parcerias com produtores

O trabalho em parceria com os produtores de tabaco e suas famílias, na Região Sul do Brasil também tem contribuído para as metas de sustentabilidade da PMB e gerado ganhos importantes para seus beneficiários diretos e para a sociedade.
 
O Relatório de Sustentabilidade destaca os parâmetros estabelecidos pela empresa em relação às comunidades produtoras de tabaco, de modo que as atividades agrícolas em sua cadeia de abastecimento sejam propulsoras de desenvolvimento socioeconômico e promoção dos direitos humanos. Esses parâmetros fazem parte dos programas de Boas Práticas Agrícolas (GAP) e de Práticas Laborais Agrícolas (ALP), que visam a criação de valor sustentável em toda a cadeia de fornecimento.
 
Em 2020, por exemplo, todos os produtores e trabalhadores que fornecem tabaco de forma direta ou indireta para a Philip Morris Brasil (44.643 no total) foram periodicamente monitorados por mais de 300 técnicos de campo em questões sociais, ambientais e de direitos humanos, contemplando os critérios estabelecidos pelo Programa ALP.
 
Outro destaque são os programas voltados ao desenvolvimento da agricultura familiar e diversificação de culturas, capazes de garantir a promoção de padrões internacionais de direitos humanos na produção de tabaco entre os produtores parceiros e suas famílias, subsistência e geração de renda, além de difundir práticas sustentáveis de cultivo e gestão das pequenas propriedades, em benefício de todo o meio ambiente.
 
Um exemplo implantado recentemente é o Responsible Leaf, em parceria com a Produzindo Certo, empresa especializada em gerenciamento ambiental no agronegócio brasileiro, com o objetivo de realizar diagnóstico socioambientais das propriedades produtoras de tabaco, de forma individualizada. Com isso, a PMB pode identificar as necessidades de cada produtor e definir ações de capacitação, boas práticas e tecnologias a serem implementadas, entre outras melhorias de gestão.
 
Inclusão e Diversidade

Dentro do escopo sustentabilidade, outra questão que não poderia ficar de fora do Relatório é a crença da companhia em construir um ambiente de trabalho plural e inclusivo para tornar os negócios e a sociedade ainda mais fortes. Para a PMB, a igualdade de oportunidades e de tratamento é fundamental para manter condições de trabalho justas. Em 2019, se tornou a primeira empresa do País a receber a certificação EQUAL – SALARY, por remunerar igualmente homens e mulheres por trabalho equivalente. O Selo foi concedido pela Equal Salary Foundation, organização independente com sede na Suíça.
 
Outro destaque são os grupos de afinidade formados por colaboradores voluntários que têm buscando celebrar e fortalecer a diversidade na organização. Entre esses grupos estão o #Stripes, que desde 2017 contribui para atrair e reter talentos LGBTQIA+, e o Empower#Her, formado em 2019 para promover a equidade de gênero.
 
Com o apoio deles, a empresa vem adotando medidas relevantes como a equiparação da licença paternidade à licença maternidade (de 120 a 180 dias) no caso de casais homoafetivos (assim como é concedido para pais solteiros), a inclusão de parceiros e casais LGBTQIA+ na política de benefícios e a formalização local da política global para pessoas transgênero e em transição de gênero, que contempla, por exemplo, o direito de uso do nome social.

O Relatório de Sustentabilidade está disponível aqui.