July 24, 2020

PHILIP MORRIS INTERNATIONAL APRESENTA DESEMPENHO AMBIENTAL, SOCIAL E DE GOVERNANÇA (ESG), EM PRIMEIRO RELATÓRIO INTEGRADO

integrated report 2019
Multinacional expande as metas estabelecidas para 2025 e o Brasil se destaca com ações na Região Sul 
 
A Philip Morris International (PMI) acaba de publicar o seu primeiro Relatório Integrado, uma visão abrangente dos progressos da empresa em Meio Ambiente, Social e Governança (ESG, na sigla em inglês) e de sua transformação de negócio. As metas incluem possibilitar que mais de 40 milhões de adultos fumantes que continuariam a fumar façam a transição para os seus produtos de risco reduzido até 2025.
 
A operação brasileira é um dos destaques no documento, com as ações de combate ao trabalho infantil nas lavouras de tabaco, através do apoio ao Instituto Crescer Legal – promovido pelo Sinditabaco – e a atuação de seus orientadores e técnicos junto às famílias de pequenos produtores. Também são relatados os resultados de programas de educação, como as bolsas de estudos das Escolas Família Agrícola de Santa Cruz do Sul (RS) e do Vale do Sol e o programa de inclusão digital em escolas rurais, que já beneficiou mais de 2 mil crianças e jovens desde 2016. Por fim, são descritos os resultados do Programa de Boas Práticas Agrícolas e do +Campo, que levam orientações sobre preservação ambiental e segurança, entre outras, a milhares de produtores.
 
O Relatório Integrado PMI 2019 demonstra o papel da estratégia organizacional, de governança e desempenho na criação de valor a curto, médio e longo prazos. O Relatório também descreve como a empresa está trabalhando para reduzir as externalidades associadas ao consumo de cigarros, através da sua substituição por alternativas de risco reduzido cientificamente comprovadas. 
 
A evolução da PMI dos relatórios de sustentabilidade para relatórios integrados ajuda os investidores a fazerem a ligação entre as iniciativas de sustentabilidade centradas no produto, que estão no centro da estratégia ESG, e o desempenho financeiro ao longo do tempo. "A clareza de objetivos é essencial para o alinhamento interno de qualquer empresa. Desde que anunciamos o nosso compromisso de construir um futuro sem fumaça em 2016, fizemos progressos significativos em termos de capacidades organizacionais, integração da sustentabilidade em todos os aspectos da nossa transformação, e do nosso negócio", disse André Calantzopoulos, diretor executivo da PMI. 
 
O Relatório Integrado de 2019 demonstra como a PMI concentra seus recursos no desenvolvimento, testes científicos e comercialização responsável de produtos sem fumaça que são uma melhor opção do que continuar fumando, com o objetivo de substituir totalmente os cigarros o mais rapidamente possível. A empresa acredita que, com o devido incentivo regulatório e apoio da sociedade civil, as vendas de cigarros podem terminar dentro de 10 a 15 anos em muitos países.
 
Em 2016, a PMI introduziu um conjunto de Indicadores Chave de Desempenho (KPIs, na sigla em inglês), denominados Métricas de Transformação Empresarial, para medir e verificar de forma transparente o seu progresso em direção a um mundo sem cigarros. Em 2019, a empresa continuou expandindo esse conjunto de métricas.
 
Os destaques do desempenho em 2019, através dessas métricas, incluem:
 
⦁ A PMI continuou a movimentar recursos significativos no sentido de alcançar um futuro sem fumaça, com 98% dos investimentos totais em Pesquisa & Desenvolvimento e 71% dos investimentos comerciais totais dirigidos para produtos sem combustão em 2019.
 
⦁ O volume de produtos sem fumaça da PMI aumentou para cerca de 60 bilhões de unidades, contra 7,7 bilhões em 2016, com uma aspiração de mais de 250 bilhões de unidades até 2025. O volume de produtos combustíveis da PMI em 2019 diminuiu para 732 bilhões de unidades, em comparação com 845 bilhões de unidades em 2016, refletindo, em parte, o impacto da migração pelos adultos fumantes para os produtos sem combustão.
 
Os destaques do Relatório Integrado ESG de 2019 incluem:
 
⦁ Em 2019, a PMI continuou a avaliar e a mitigar os riscos e impactos ambientais ao longo da sua cadeia de valor, incluindo uma redução absoluta de 42% nas emissões de CO2 de escopos 1+2+3 (que inclui frotas, escritórios e cadeia de valor) em comparação com 2010; 72% da eletricidade utilizada e adquirida dentro das fábricas da PMI provinha de fontes renováveis; a PMI está empenhada em alcançar neutralidade de carbono nas suas operações diretas (escopos 1+2, que incluem frotas e escritórios) até 2030 e em toda a cadeia de valor (escopos 1+2+3, adicionando toda a cadeira de valor) até 2050.
 
⦁ A PMI continuou a concentrar-se no bem-estar das suas comunidades produtoras de tabaco. Em 2019, não foram encontrados incidentes de trabalho infantil em mais de 99% das mais de 300 mil produções de tabaco monitoradas. A empresa pretende ter zero trabalho infantil em sua cadeia de fornecimento de tabaco até 2025, incluindo a garantia de que 100% dos produtores de tabaco contratados tenham boas condições de trabalho e vida.
 
Huub Savelkouls, Chief Sustainability Officer, afirmou: "O nosso Relatório Integrado visa fornecer uma visão abrangente do que é a PMI, combinado com um conjunto holístico de métricas que vão para além dos nossos relatórios financeiros, abrangendo a nossa transformação empresarial, bem como, questões ambientais, sociais e de governança. Apoiamos e procuramos estar alinhados com as normas de divulgação do GRI (Global Reporting Initiative), SASB (Sustainability Accouting Standars Board) e TCFD (Task Force on Climate-related Financial Disclosures), permitindo a todas as partes interessadas aferir a nossa estratégia e desempenho. 
 
O Relatório Integrado completo de 2019 está disponível em PMI.com/IntegratedReport2019. Informações adicionais sobre as ações de sustentabilidade da empresa, objetivos e compromissos estão disponíveis em PMI.com/Sustainability.