March 19, 2020

RESPONSABILIDADE EM TEMPOS DE CRISE

Mensagem PMB
Jacek Olczak – COO da Philip Morris International 

19 de março de 2020 –  A situação hoje é sem precedentes, com governos, autoridades de saúde pública, empresas e indivíduos fazendo o possível para enfrentar a tempestade COVID-19. Em um período tão difícil, é mais importante do que nunca nos lembrar do verdadeiro significado de "responsabilidade" e das múltiplas dimensões desse conceito.

Fundamentalmente, cada um de nós tem responsabilidade individual por nossas decisões e ações. Diante de uma circunstância tão assustadora quanto uma pandemia global, é muito fácil desviar a responsabilidade para nossos oficiais eleitos, organizações intergovernamentais, agências de saúde - para qualquer pessoa que não seja nós mesmos. Infelizmente, não temos esse luxo. Para controlar esse surto, será necessário que cada um de nós assuma a responsabilidade por nossas ações, pelo bem de nossas famílias e da comunidade em geral. Os conselhos de saúde foram explícitos: mesmo se você estiver saudável e não for considerado de alto risco de contrair a doença, fique em casa na medida do possível. Mantenha distância social e evite contatos desnecessários. Como membros da comunidade, o poder de diminuir a curva de infecção está em nossas mãos (que todos nós deveríamos estar lavando).

Para voltar ao normal o mais rápido possível, também precisamos contar com nossos líderes. Agora, mais do que nunca, estamos confiando em nossos governos, autoridades de saúde pública e líderes empresariais para tomar decisões desafiadoras em um cenário incerto. Colocar as pessoas em primeiro lugar e liderar com ciência e fatos é imperativo.

Para ganhar nossa confiança, os governos e as autoridades de saúde devem se comunicar de forma transparente e devem apoiar os cientistas que trabalham noite e dia para aprender mais sobre o vírus e desenvolver tratamentos e vacinas.

Para os líderes corporativos, este é o momento de pensar acima e além dos planos de continuidade dos negócios. A segurança dos funcionários e de seus entes queridos deve ser a prioridade absoluta. Muitas empresas globais - incluindo a PMI - restringiram as viagens de negócios, passaram a trabalhar remotamente e implementaram medidas de precaução para quaisquer operações que não possam ser executadas remotamente. Nesse contexto desafiador, vejo nossas mais de 73.000 pessoas em todo o mundo se esforçando para colaborar como uma equipe, com cuidado, respeito e solidariedade.

É nossa responsabilidade, como líderes empresariais, avaliar a situação constantemente, adaptar-se rapidamente à medida que as coisas evoluem e promover a resiliência em nossas equipes, continuando a operar com eficiência. Essa é uma tarefa difícil, mas essencial - e era essencial antes mesmo da crise mais recente.

Igualmente importante é a nossa responsabilidade coletiva. Trata-se de nós, cidadãos e comunidades, reunidos (virtualmente por enquanto) para apoiar um ao outro e, principalmente, cuidar dos mais vulneráveis. Aqueles de nós em posição de fazê-lo devem estender ainda mais nossas esferas de responsabilidade, para nossos vizinhos e membros da comunidade que não possuem os recursos ou a capacidade de cuidar de si mesmos.

Também devemos trabalhar juntos para garantir que aprendamos com o que aconteceu nos últimos meses e o que acontecerá nas próximas semanas. Uma vez que o vírus seja controlado e essa crise fique para trás, devemos realizar uma análise completa do que aconteceu, o que funcionou e o que não funcionou e, o que é mais importante, o que precisamos implantar para estarmos mais preparados para a próxima crise.

Todos esperamos não enfrentar nada dessa natureza novamente, mas sabemos que enfrentaremos. No entanto, isso não deve ser nossa ruína. Se todos nós assumirmos a responsabilidade - pessoal, profissional, social - por nossas respostas à esta crise, sairemos dessa situação precária mais forte do que quando entramos nela.