December 18, 2019

A Philip Morris International divulga o mais recente "Boletim Científico Sobre Produtos Sem Fumo", dedicado à Nicotina

Picture1

Uma análise aprofundada sobre a "Nicotina: da planta às pessoas", que procura esclarecer algumas dúvidas  comuns sobre a nicotina e os seus efeitos

A Philip Morris International (PMI), de que a Tabaqueira é subsidiária em Portugal, divulgou hoje o seu mais recente "Boletim Científico Sobre Produtos Sem Fumo", uma publicação periódica dedicada aos esforços de investigação da empresa para desenvolver e avaliar uma série de alternativas sem fumo aos cigarros. Este último número apresenta um resumo dos atuais conhecimentos científicos sobre a nicotina, e esclarece algumas das dúvidas mais comuns sobre a mesma.

A nicotina é a molécula mais conhecida presente no tabaco, e as políticas públicas e as decisões dos consumidores refletem frequentemente algumas perceções erróneas relativamente à evidência existente sobre a nicotina. A evidência resultante de uma extensa pesquisa, incluindo investigadores independentes e autoridades governamentais de saúde pública, evidenciam de forma clara que a nicotina provoca dependência, e o seu consumo não está isento de riscos. No entanto, ao contrário do que muitos continuam a acreditar, a nicotina não é a principal causa das doenças relacionadas com o consumo de tabaco. É a combustão que gera a vasta maioria de compostos tóxicos presentes no fumo do tabaco, e que está associada com as doenças relacionadas com o seu consumo. A nicotina é o principal elemento das terapias de substituição de nicotina, concebidas para ajudar os fumadores a deixarem de fumar. De igual forma, a nicotina também é o elemento fundamental em produtos sem fumo, por forma a tornar estes aceitáveis para os fumadores que de outra forma continuariam a fumar cigarros.

Miguel Matos, Diretor-geral da Tabaqueira refere: "Apesar de a nicotina gerar dependência e não ser  isenta de riscos, não é a principal causa das doenças relacionadas com o consumo de tabaco. Colocar à disposição dos fumadores adultos que querem continuar a usar nicotina é uma possibilidade adicional sensata e complementar às políticas de controlo do consumo de tabaco existentes. É encorajador ver que o debate está agora a mudar para as alternativas sem fumo, que são uma opção melhor para quem continua a fumar".

Este boletim científico refere também com maior pormenor aquilo que os responsáveis de saúde pública dizem, e aquilo que se pensa acerca da nicotina. O processo de combustão de tabaco, que liberta os aromas do tabaco e nicotina, produz também mais de 6000 constituintes químicos, 100 dos quais foram identificados como causas, ou potenciais causas, das doenças relacionadas com o consumo de tabaco. Organizações de renome, como a Agência de Saúde Pública em Inglaterra, a Public Health England, a Agência Americana para a Segurança Alimentar e do Medicamento, Food and Drug Administration (FDA), reconhecem cada vez mais o potencial dos produtos com nicotina que não envolvem a combustão de tabaco como alternativas sem fumo.

"Acreditamos que é importante as pessoas terem uma perspetiva equilibrada sobre a nicotina", refere ainda Miguel Matos, Diretor-geral da Tabaqueira. "Por um lado, devemos deixar claro que os produtos que contêm nicotina geram dependência e não são isentos de risco, não devendo, portanto, ser utilizados por determinados grupos de pessoas. Por outro, a nicotina pode constituir um pilar das políticas de saúde pública que visam encorajar os adultos, que de outra forma, continuariam a fumar, a mudarem para produtos sem fumo. Políticas e regulamentação eficazes deverão permitir que os fumadores adultos tenham acesso a produtos cientificamente substanciados e que possam fazer escolhas informadas com base em informações exatas acerca destes produtos".

O Boletim Científico Sobre Produtos Sem Fumo encontra-se disponível aqui.


Os números anteriores do boletim científico estão disponíveis no sítio da PMI Science.


** 

Philip Morris International: A construir um futuro livre de fumo

A Philip Morris International (PMI) está a liderar uma transformação na indústria do tabaco para criar um futuro sem fumo e, como meta final, substituir os cigarros por produtos sem fumo para benefício dos adultos que, de outra forma, continuariam a fumar, da sociedade, da empresa e dos seus acionistas. A PMI é uma importante empresa internacional de tabaco dedicada ao fabrico e comercialização de cigarros, produtos sem fumo e dispositivos eletrónicos e acessórios associados, e outros produtos que contêm nicotina em mercados fora dos EUA. A PMI está a construir um futuro numa nova categoria de produtos sem fumo, que embora não sejam isentos de risco, são uma escolha muito melhor do que continuar a fumar. Através de competências multidisciplinares no desenvolvimento de produtos, instalações de ponta e substanciação científica, a PMI procura garantir que os seus produtos sem fumo vão ao encontro das preferências dos consumidores adultos e de requisitos normativos rigorosos. A carteira de produtos sem fumo IQOS da PMI inclui produtos "de tabaco aquecido sem combustão" e produtos de vapor com nicotina. Desde 30 de setembro de 2019, a PMI estima que aproximadamente 8.8 milhões de fumadores adultos em todo o mundo já pararam de fumar e mudaram para o produto sem combustão da PMI, disponível para comercialização em 51 mercados, em cidades importantes ou a nível nacional, sob a designação de marca IQOS. Para obter mais informações, consulte http://www.pmi.com e www.pmiscience.com.