May 29, 2018

“Dia Sem Tabaco” deveria ser “Dia Sem Fumo”

news-pt
Os fumadores merecem saber mais sobre melhores alternativas aos cigarros

Lisboa, 30 de maio – A Philip Morris International (PMI), de que a Tabaqueira é subsidiária em Portugal, defendeu hoje, na véspera do “Dia Mundial Sem Tabaco”, a importância que o dia seja em alternativa reconhecido como “Dia Mundial Sem Fumo”. Como forma de assinalar a ocasião e de explicar o seu entendimento, a empresa decidiu publicar anúncios informativos em diversos órgãos de informação, para dar a conhecer aos fumadores a existência de alternativas aos cigarros, livres de fumo.

Apesar dos reconhecidos riscos para a saúde associados ao consumo de produtos de tabaco, muitas pessoas continuam a fumar. A Organização Mundial da Saúde (OMS) prevê que haverá mais de mil milhões de fumadores em 2025, aproximadamente o mesmo número que hoje. A sua melhor opção seria deixar de fumar – mas muitos não o fazem. É por isso razoável que essas pessoas tenham acesso a informação sobre alternativas menos prejudiciais do que os cigarros. Por que razão poderia alguém negar-lhes essa oportunidade? Assim sendo, a PMI apela a que seja adotada uma abordagem de saúde pública inovadora e audaz.

“A OMS está numa posição ideal para impulsionar a mudança dos fumadores em direção a alternativas mais sensatas. Uma política que informe os fumadores sobre essas alternativas – na essência, um “Dia Mundial Sem Fumo” – reduziria a prevalência do consumo de cigarros a um ritmo mais acelerado do que o atual conjunto de políticas de controlo do tabaco”, afirmou André Calantzopoulos, Diretor Executivo da PMI. “Os fumadores merecem que lhes seja apresentado um plano compreensivo e sensato, que incorpore de forma cabal a existência de melhores alternativas aos cigarros. Da nossa parte, estamos determinados em contribuir para um futuro livre de fumo mediante a disponibilização de produtos inovadores, cientificamente fundamentados e que atendam às necessidades dos consumidores.”

A PMI, com o concurso de mais de 400 cientistas, engenheiros e técnicos, investiu na última década e meia quase 4 mil milhões de euros no desenvolvimento de uma série de produtos sem fumo que sejam melhores escolha para os milhões de fumadores que continuam a fumar. Mais de 5 milhões de fumadores em todo o mundo já substituíram completamente os cigarros pelo IQOS, o produto de tabaco aquecido da PMI, a um ritmo de 10.000 fumadores por dia. Em Portugal, são já cerca de 100 mil os fumadores adultos que fizeram essa opção, com uma média diária de cerca de 200 pessoas. A PMI não é a única empresa que reconhece esta inovação como um fator benéfico decisivo para os mil milhões de fumadores em todo o mundo – toda a indústria do tabaco está genericamente a adotar essa postura.

“A nossa ambição de curto prazo é que um em cada três dos nossos consumidores, cerca de 40 milhões de fumadores, adotem melhores alternativas, sem fumo, até 2025. Queremos, a breve prazo, estar na posição de deixar completamente de vender cigarros. Para que isso aconteça tão rápido quanto possível, precisamos do apoio dos governos e das comunidades de saúde pública. Acredito que, em vez de apenas designar um dia como o “Dia Mundial Sem Tabaco”, devíamos promover cada dia como o “Dia Mundial Sem Fumo”, afirmou Andre Calantzopoulos.

A PMI propõe que os governos e as autoridades avaliem e investiguem de forma aprofundada o modo como os produtos livres de fumo podem com base em evidência científica ser usados como estratégia complementar de saúde pública, juntamente com a prevenção e a cessação do consumo de tabaco. Com a regulação e supervisão adequadas ao seu perfil de risco, esses produtos podem ter um impacto significativo e positivo na saúde pública.

Para saber mais sobre a visão da PMI no Dia Mundial Sem Tabaco, visite https://www.pmi.com/media-center/news/details/world-no-smoking-day-2018.
share this story