July 14, 2017

Perfil Miguel Matos – Diretor geral da Tabaqueira | Jornal Expresso

news-pt

Sem fumo mas com ‘fogo’ na revolução do tabaco

Miguel Matos 43 anos, é o novo diretor-geral da Tabaqueira

Miguel Matos - Expresso notícia


Começou por ser auditor financeiro, mas a experiência foi curta. A história da vida de Miguel Matos era outra, ligada à indústria do tabaco desde 1998, ano em que conheceu os corredores da Tabaqueira, então recém-integrada na gigante Philip Morris International (PMI). “Foi uma altura muito especial. A PMI promoveu uma cultura e abordagens totalmente inovadoras”, relata. Desde então, a evolução tem sido “impressionante”: “Deixámos de produzir só para o mercado nacional para sermos um dos maiores exportadores; investimos para modernizar e aumentar a nossa produção; temos centros de excelência a servir várias fábricas da Europa; ‘exportámos’ muitos talentos para afiliadas da PMI; e fomos a quarta afiliada a lançar o IQOS”, a tecnologia de tabaco aquecido, sem fumo, que veio revolucionar a indústria. Ao mesmo tempo que a Tabaqueira mudava, Miguel Matos mudava na Tabaqueira. A partir da Suíça, geriu o departamento financeiro da União Europeia; em 2012, embarcou numa aventura checa; e, no ano passado, experimentou dirigir o negócio das Ilhas Canárias (Espanha). Embora tenha cruzado estas experiências com o solo português, foi no início deste ano que regressou para liderar o mercado nacional. Hoje, o horizonte deste não-fumador assenta na revolução tecnológica iniciada há dois anos, quando a PMI lançou o produto IQOS (consumido por mais de três milhões de pessoas no mundo). O tabaco aquecido

(não sujeito a combustão) “resulta numa redução média entre 90% a 95% dos constituintes nocivos presentes no fumo dos cigarros”. Continua a causar dependência e “não é inócuo”, mas faz com que a Tabaqueira acredite que está a construir “uma alternativa com um significativo potencial de redução de riscos para os consumidores que não querem ou não conseguem deixar de fumar”. Construir um futuro sem fumo é, aliás, a ambição da empresa. Com quase metade da vida dedicada à Tabaqueira, a questão que se impõe é: sente um homem dualidade por liderar um negócio que causa graves prejuízos à saúde? Miguel Matos não. “O mercado do tabaco é altamente regulado e a Tabaqueira sempre teve uma postura muito responsável a este respeito — a única alternativa segura para qualquer fumador é deixar de fumar.” Ponto.

 

RAÍZES

Nasceu em Moçambique e vive em Lisboa

 

PERCURSO

Formado em Gestão e Administração de Empresas, estreou-se na auditoria financeira. Em 1998, ingressou na Tabaqueira, o trampolim para experiências na Suíça e República Checa. No regresso a Portugal, em 2013, assumiu a direção financeira da empresa e, mais tarde, a gestão do negócio na Madeira e Açores. Em 2016, voou para as Canárias. Regressou para dirigir o mercado nacional.

 

DESAFIOS

“Liderar esta organização num momento em que queremos transformar a indústria está a ser uma experiência única”

 

ORGULHO

“A Tabaqueira tem perto de 65 pessoas a prestar serviços especializados a várias fábricas da UE em áreas como a engenharia, manutenção e finanças operacionais. É um testemunho da confiança da Philip Morris International”

 

INTERESSES

“Gosto de viajar, ler e fazer desporto (correr, squash e padel)”

 

LIVROS

“1984” (George Orwell) e “A Conspiração Contra a América” (Philip Roth)


Rute Barbedo
economia@expresso.impresa.pt
Fotografia: Expresso

  

Consulte o artigo na versão online do Jornal Expresso (para assinantes).