May 27, 2021

Philip Morris International relata progresso rumo à aceleração do fim do consumo de cigarros

2

A PMI lança o Relatório Integrado, demonstrando um sólido desempenho e progresso no plano ambiental, social e de governança em direção a um futuro livre de fumo


A Philip Morris International (PMI), de que a Tabaqueira é subsidiária, acaba de publicar o seu Relatório Integrado, uma visão global do desempenho da empresa no plano ambiental, social e de governança (da sigla em inglês, ESG) e do progresso no seu propósito de construção de um futuro livre de fumo.

O que abrange a ambiciosa meta para 2025 de transferir mais de 40 milhões de fumadores adultos para produtos alternativos sem combustão e fumo (metade destes provenientes de países que não fazem parte da OCDE) e ainda que os produtos sem combustão e fumo contabilizem mais de 50% das receitas líquidas da PMI. 

Para acelerar ainda mais a transformação da PMI, este ano a empresa apresentou duas novas ambições para 2025, relacionadas com as suas Métricas de Transformação de Negócio: disponibilizar os seus produtos sem combustão e fumo em 100 mercados e, que, pelo menos mil milhões de dólares americanos da receita líquida anual sejam provenientes de produtos “para além da nicotina”.

O Relatório Integrado apresenta também casos de estudo com as primeiras indicações disponíveis do impacto dos produtos sem combustão e livres de fumo da PMI nos mercados onde os mesmos têm uma presença significativa.

“Apresento este relatório com orgulho no que já conseguimos alcançar em apenas cinco anos, como por exemplo o facto dos produtos sem combustão e fumo terem contabilizado quase um quarto do total das nossas receitas líquidas em 2020, por comparação com zero em 2015. Reconheço ainda o imenso trabalho que temos pela frente. As nossas novas metas ambiciosas são sinal da confiança que temos na capacidade de mudança monumental do futuro da nossa empresa a longo prazo,” disse Jacek Olczak, Chief Executive Officer.

“A PMI está empenhada em funcionar como um agente de mudança e que advoga valores positivos. Inovação e inclusão são elementos chave para a resolução dos desafios que enfrentamos, quer sejam relacionados com a redução do risco, impacto ambiental, ou social. Visamos criar um futuro sustentável que beneficie a empresa, acionistas, consumidores e a sociedade.”

 O Relatório Integrado da PMI de 2020 demonstra como a estratégia, a governança e o desempenho da organização criam valor. Para mostrar impacto, a empresa relata o progresso em várias áreas do plano ambiental, social e de governança, incluindo na prossecução do ambicioso roteiro para 2025 – um conjunto de metas visionárias relativas a todos os tópicos prioritários da avaliação de materialidade da sustentabilidade da PMI.

O relatório destaca os tópicos de sustentabilidade mais materiais da PMI, incluindo os impactos dos seus produtos na saúde – um aspeto que na maioria das vezes não é identificado pelas avaliações ESG externas – e descreve como a empresa está a trabalhar na investigação, no desenvolvimento e comercialização de melhores alternativas, cientificamente substanciadas, por comparação com o consumo de cigarros continuado, para os adultos que, de outra forma, continuariam a fumar.

Inclui ainda uma nova secção sobre a transformação de negócio da empresa – que se estende para além da alteração do produto – e uma atualização nas Métricas de Transformação do Negócio.

As Métricas de Transformação do Negócio da empresa são um conjunto personalizado de indicadores-chave de desempenho (KPIs) apresentados em 2016 para complementar a divulgação dos ESG. Estas métricas permitem às partes interessadas avaliarem, de forma transparente, tanto o ritmo como a escala da transformação da PMI. Desde então, com base no retorno das partes interessadas (ou stakeholders), a PMI expandiu para 28 o número de métricas, com três novas apresentadas neste relatório.

O relatório demonstra ainda como a empresa acredita que a estratégia de sustentabilidade corresponde à estratégia corporativa e que as questões relacionadas com o desempenho ambiental, social e de governança são questões do negócio.

Refletindo este compromisso para com a sustentabilidade, a equipa de sustentabilidade global é agora parte da função da Área Financeira, e reporta diretamente ao Chief Financial Officer. Para além disso, a remuneração executiva está agora claramente ligada ao desempenho ambiental, social e de governança, complementando os fortes incentivos de transformação de produto já em vigor.

“A sustentabilidade está no centro da transformação da PMI, e é o motor de desenvolvimento dos nossos programas sólidos em termos de desempenho ambiental, social e de governança, de modo a mitigar os riscos associados à nossa cadeia de valor, ao mesmo tempo que favorece a inovação e o crescimento de modo a assegurar o nosso sucesso a longo prazo”, referiu Emmanuel Babeau, Chief Financial Officer. “A nossa profunda convicção é que a sustentabilidade e o desempenho corporativo não seguem caminhos separados, e tenho orgulho que tenhamos continuado a reforçar, durante o último ano, a governação da sustentabilidade e a garantir que o desempenho ambiental, social e de governança integram a tomada de decisão da nossa organização.”

Ao reconhecer os desafios únicos e difíceis do último ano, a PMI dedicou, ao longo do Relatório Integrado, secções que evidenciam como a empresa abordou os impactos da COVID-19 nos seus trabalhadores, negócio, e cadeia de valor, assim como instâncias em que a pandemia afetou diretamente os esforços de sustentabilidade da empresa e as necessárias adaptações em resposta à mesma.

“Apesar dos desafios sem precedente que a pandemia global nos trouxe, não nos desviámos dos esforços para demonstrar o nosso cuidado, apoiar aqueles que estão no campo da nossa esfera de ação, e prosseguir com a nossa missão de nos tornarmos uma empresa mais sustentável,” disse Jennifer Motles, Chief Sustainability Officer. “À medida que continuamos a transformar-nos, o envolvimento dos parceiros e o diálogo construtivo continuam a ser de extrema importância para esta evolução. Em 2020, parcerias de diversas partes interessadas foram fundamentais para o progresso significativo que fizemos para abordar muitos dos tópicos prioritários de sustentabilidade, desde a segurança e proteção da saúde dos nossos trabalhadores até à proteção dos direitos humanos daqueles impactados pelo nosso negócio, e aceleração dos esforços para mitigar o nosso impacto na mudança climática em toda a nossa cadeia de valor.”

O relatório foi preparado seguindo a estrutura de Relatório Integrado, e em concordância com os Padrões de divulgação da Global Reporting Initiative(GRI). Alinhado com os princípios e padrões do Pacto Global das Nações Unidas (da sigla em inglês, UNGC) e indica contribuições para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas e respetivas metas. O Relatório Integrado da PMI aborda algumas recomendações da Task Force on Climate-related Financial Disclosures (TCFD), com os seus relatórios ambientais para o CDP a cobrir a maior parte do restante.

Considera ainda orientações do Sustainability Accounting Standards Board (SASB). Para além disso, pela primeira vez, e como resultado da transformação de negócio da PMI – faz referências à maior parte dos aspetos dos padrões SASB definidos para Tecnologia e Comunicações, mais concretamente o padrão de hardware, e descreve também o alinhamento com alguns aspetos dos padrões desenvolvidos para a indústria da saúde, especificamente o padrão de equipamentos Médicos.

Por último, o conteúdo do Relatório Integrado de 2020 da PMI está mapeado de acordo com as 21 métricas definidas pelo Conselho Internacional de Negócios/ Fórum Económico Mundial no livro branco “Measuring Stakeholder Capitalism: Towards Common Metrics and Consistent Reporting of Sustainable Value Creation”, para refletir mais profundamente a importância das partes interessadas, de acordo com a Declaração de Propósito da PMI.

A 2 de junho, a PMI vai organizar um webcast com enfoque no desempenho ambiental, social e de governança, durante o qual, a empresa pretende disponibilizar informação adicional sobre como a integração da sustentabilidade de forma transversal no negócio cria valor para os seus acionistas e partes interessadas. A PMI vai também publicar, durante a próxima semana um documento com destaques ao nível do desempenho ambiental, social e de governança, e disponibilizar um sumário-executivo do Relatório Integrado com maior enfoque em dados e que ficará disponível em PMI.com/investor-relations.

As partes interessadas podem descarregar o Relatório Integrado completo de 2020, bem como índices que mapeiam as divulgações da empresa no âmbito de estruturas internacionalmente reconhecidas, na recentemente renovada página de internet PMI.com/sustainability, incluindo detalhes sobre os 16 tópicos de sustentabilidade Tier 2 da empresa.

Progresso da Transformação do Negócio da PMI

- À data de 31 de Dezembro de 2020, o IQOS estava disponível para venda em 64 mercados, e estima-se que 12,7 milhões de fumadores adultos tenham mudado completamente para o IQOS e deixado de fumar, de um total de 17,5 milhões de utilizadores IQOS.

- Em 2020, a PMI investiu 495 milhões de dólares americanos em I&D, aproximadamente 100% dos quais dedicados a produtos sem combustão e sem fumo.

- As vendas da PMI relacionadas com produtos livres de fumo representaram aproximadamente 23,8% do total de receitas em 2020, comparando com 0,2% em 2015.

- O volume de exportação de produtos livres de fumo da PMI representou mais de 10% do total do volume de exportações em 2020, comparando com 0,1% em 2015.

 

Destaques (selecionados) de desempenho relativamente às práticas ambientais, sociais e de governança

 - Em 2020, 48% dos agricultores contratados pela PMI para fornecer tabaco estavam a receber pelo menos um rendimento mínimo, baseado na metodologia Anker, que é amplamente reconhecida por estimar os benchmarks dos rendimentos mínimos a nível mundial. Apesar dos desafios da pandemia global, 100% dos agricultores e trabalhadores nos campos de tabaco na cadeia de abastecimento foram dotados de equipamento de proteção individual.

- A PMI está a progredir bem rumo aos seus objetivos de neutralidade carbónica nas suas operações diretas (escopo 1+2) e ao longo da sua cadeia de valor (escopo 1+2+3) em 2050. Em 2020, alcançou reduções bastante significativas nas emissões absolutas de CO2 e, incluindo uma redução de 26% nas suas operações diretas (escopo 1+2) e uma redução de 18% ao longo da sua cadeia de valor (escopo 1+2+3). Estas foram parcialmente resultado dos impactos relacionados com a COVID-19, mas deveram-se maioritariamente a um acelerar de esforços no sentido de atingir os objetivos de neutralidade carbónica.

- Em agosto de 2020, a PMI lançou o seu produto de vapor IQOS VEEV – o primeiro dispositivo eletrónico equipado com uma tecnologia de verificação de idade – na Nova Zelândia. O objetivo da PMI é ter 100% dos seus dispositivos eletrónicos sem combustão e livres de fumo introduzidos no mercado em 2023 equipados com tecnologia de verificação de idade.

- A PMI introduziu uma nova tecnologia para medir a prevalência de todo o tipo de incidentes de trabalho infantil – para ganhar maior visibilidade e aumentar a eficácia desta divulgação – como parte do seu objetivo de ter zero trabalho infantil na sua cadeia de abastecimento em 2025.

- Para fortalecer o seu quadro-geral de diligência e proactivamente identificar riscos e mitigar o potencial de impactos adversos nas suas operações e cadeia de valor, a PMI conduziu estudos do impacto dos direitos humanos em dois países – Moçambique e Rússia – em 2020 e está no rumo certo para abranger os seus 10 mercados de maior risco em 2025.

– Em 2020, a PMI alcançou a meta de ter 100% do seu tabaco adquirido sem risco de desmatamento de florestas primárias, ampliando os seus esforços para proteger a biodiversidade e prevenir a destruição da natureza.

– A PMI recebeu a classificação “Triple A” do CDP pelos seus esforços no combate às alterações climáticas, proteção das florestas e promoção da segurança da água, mantendo a sua posição na Lista A do CDP para as Alterações Climáticas pelo sétimo ano consecutivo.

– A PMI continuou a implementação do programa de devolução para produtos sem combustão e livres de fumo, chamado CIRCLE, e alcançou 84% de taxa de reciclagem de dispositivos IQOS devolvidos nos centros CIRCLE (percentagem do peso de cada dispositivo).

– Em dezembro de 2020, 37,2% das posições de gestão da PMI eram ocupadas por mulheres, face aos 36,1%em 2019. Comprometida em alcançar a igualdade de género a todos os níveis, a empresa está encaminhada para alcançar o seu objetivo de 40% de posições de gestão por mulheres em 2022.

Os objetivos e as metas ambiciosas não constituem projeções financeiras e o alcance de resultados futuros está sujeito a riscos, incertezas e pressupostos pouco precisos, tal como descrito nas declarações acauteladoras e prospetivas na página 145 do Relatório Integrado da PMI 2020. Os termos-chave, definições e notas explicativas estão definidos no relatório. No Relatório Integrado 2020 e nas comunicações relacionadas, “materialidade”, “material”, e termos semelhantes, quando usados em contexto económico, ambiental, e tópicos sociais, são definidos nos padrões referenciados de sustentabilidade e não é suposto corresponderem ao conceito de materialidade sob as leis dos títulos dos EUA e/ou divulgações requeridas pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA.

Philip Morris International: A construir um futuro livre de fumo

A Philip Morris International (PMI) está a liderar uma transformação na indústria do tabaco com o objetivo de criar um futuro sem fumo por via da substituição dos cigarros por produtos sem fumo para benefício dos adultos que, de outra forma, continuariam a fumar, da sociedade, da empresa e dos seus acionistas.

A PMI é a principal empresa internacional de fabrico e comercialização de tabaco, em particular, de cigarros, de produtos sem fumo e respetivos dispositivos eletrónicos e acessórios, bem como de outros produtos que contêm nicotina em mercados fora dos EUA. Neste país, o grupo Altria, Inc. comercializa, sob licença da PMI, versões da sua Plataforma 1 (sob a designação comercial IQOS) e os respetivos consumíveis autorizados para comercialização pela Agência Americana para a Segurança Alimentar e do Medicamento (FDA) no quadro dos requerimentos de pré-comercialização de produtos de tabaco (Premarket Tobacco Product Applications ou PMTA em Inglês); tendo a FDA autorizado a comercialização de uma versão do IQOS e os respetivos consumíveis como um produto de tabaco de risco modificado (Modified Risk Tobacco Product ou MRTP em Inglês), deliberando que uma decisão de modificação da exposição é apropriada para promover a saúde pública.

A PMI está a construir um futuro assente numa categoria nova de produtos sem fumo que, embora não sejam isentos de risco, são uma escolha muito melhor do que continuar a fumar. Através da aplicação de competências multidisciplinares ao desenvolvimento de produtos, de instalações de ponta e de substanciação científica, a PMI procura garantir que os seus produtos sem fumo vão ao encontro das preferências dos consumidores adultos de acordo com requisitos normativos rigorosos. O portfólio de produtos sem fumo da PMI inclui produtos de tabaco aquecido sem combustão e produtos de vapor com nicotina.

Desde 31 de de Março de 2021, o IQOS está disponível para comercialização em 66 mercados, em cidades importantes ou a nível nacional, e a PMI estima que aproximadamente 14 milhões de fumadores adultos em todo o mundo já mudaram para o produto de tabaco aquecido sem combustão da PMI, sob  a marca IQOS, e deixaram de fumar.

Para obter mais informações, consulte www.pmi.com  e  www.pmiscience.com