April 26, 2019

PMI apela a fabricantes para que atuem no sentido de que os jovens se abstenham do uso de nicotina

news portugal april 26

Para a PMI, contribuir para a construção de um futuro livre de fumo resume-se a procurar que os fumadores adultos mudem para produtos sem combustão.

A Philip Morris International (PMI), de que a Tabaqueira é subsidiária em Portugal, reafirmou a sua visão de procurar alcançar no futuro um mundo livre de fumo, isto é, sem cigarros e produtos de tabaco com combustão e fumo. Para as centenas de milhões de homens e mulheres em todo o mundo que todavia continuarão a fumar, o seu objetivo é que estes alterem as suas opções de consumo para produtos que, contendo nicotina, sejam cientificamente substanciados como melhores alternativas para eles. A sua convicção de base, i.e. que um qualquer cidadão que não fume, não deve iniciar o consumo, tem como ponto de partida um forte enfoque na prevenção do consumo de tabaco ou de produtos com nicotina por jovens menores de idade.

“Dado o rápido ritmo de inovação na área dos produtos de tabaco, estamos convictos que os jovens menores de idade não devem utilizar quaisquer produtos que contenham tabaco – ou nicotina. A nicotina gera dependência. Não é inócua, e representa riscos particulares para os adolescentes. Estamos conscientes de que temos de agir com extremo cuidado para alcançar o nosso objetivo de um futuro livre de fumo. Os jovens não devem iniciar o consumo de nicotina. Antigos fumadores e pessoas que nunca fumaram não devem retomar, ou iniciar, o consumo de produtos de tabaco ou nicotina. Todo o nosso enfoque está centrado em disponibilizar melhores alternativas aos homens e mulheres que fumam hoje”, afirmou André Calantzopoulos, Presidente Executivo da PMI.

“A PMI leva a responsabilidade muito a sério. As nossas Boas Práticas de Conversão servem como alicerce da empresa para encorajar fumadores adultos a fazerem a mudança, ao mesmo tempo que estabelecem as balizas para prevenir o uso não intencional nos países onde vendemos produtos inovadores que não queimam tabaco”, referiu ainda.

Nas nossas lojas IQOS, recusamo-nos a direcionar a comercialização destes produtos junto de pessoas que nunca tenham fumado ou que tenham deixado de fumar. Somos também bastante claros quanto ao facto de estes produtos não serem livres de risco ou uma alternativa segura aos cigarros.

Da mesma forma, os nossos padrões em matéria de informação ao consumidor baseiam-se no princípio de que apenas vendemos os nossos produtos a fumadores adultos.

Aumentar a idade legal para compra de produtos de tabaco ou nicotina pode desempenhar um papel importante na proteção contra o uso desses produtos por parte dos jovens, em conjunto com o controlo de acesso e a educação, que deve extravasar da prevenção do consumo de cigarros apenas para inclui também o uso de qualquer produto com nicotina. No entanto, esse esforço deve começar pelas próprias empresas. 

Os fabricantes de tabaco e de cigarros eletrónicos devem ter a abordagem certa, o produto certo e a ciência certa, assim como programas sólidos de monitorização pós-comercialização, para garantir que as novas tecnologias de tabaco e nicotina alcançam a audiência pretendida – homens e mulheres que fumam atualmente. 
 
“A PMI apenas começou a comercializar os seus produtos sem fumo após efectuadas todas essas verificações”, disse o seu responsável operacional, Jacek Olczak. 
Em países em que é comercializado o IQOS, o sistema de tabaco aquecido da PMI, os dados mostram que estamos a alcançar atuais fumadores adultos – por outras palavras, a audiência correta. No Japão (o maior mercado para o IQOS), 98 por cento dos seus utilizadores eram previamente consumidores de tabaco e globalmente a média de idades dos utilizadores situa-se entre os 30 e os 49 anos.

Nos EUA, a PMI vem defendendo que a melhor forma das empresas de tabaco e cigarros eletrónicos abordarem problemas tão sérios como a utilização de produtos de nicotina por parte de menores de idade, consiste no aproveitamento da oportunidade oferecida pela avaliação em curso por parte da Agência norte-americana para a Alimentação e o Medicamento - Food and Drug Administration (FDA). Há mais de dois anos, a PMI apresentou à FDA um pedido de autorização para iniciar a comercialização do IQOS, o sistema de tabaco eletronicamente aquecido. Nenhuma outra empresa apresentara à FDA um conjunto de evidências científicas tão extenso quanto a PMI. 
Confiamos por isso que a FDA autorize em breve a venda do IQOS nos EUA.

“Há um equilíbrio que deve ser atingido. A juventude não deve utilizar produtos com nicotina. Isso está fora de questão. Ao mesmo tempo, a política pública precisa de reconhecer o papel que os novos produtos de tabaco sem fumo e outros produtos de nicotina podem desempenhar na missão de afastar os fumadores adultos dos cigarros. Alcançar este equilíbrio é absolutamente necessário para realizar um verdadeiro avanço na saúde pública, e exige uma coordenação próxima com as agências reguladoras pré, e ainda mais importante, pós-comercialização,” acrescentou Calantzopoulos. 

Até à data, a PMI investiu mais de 6 mil milhões de dólares americanos em pesquisa, desenvolvimento, fabrico e comercialização de produtos sem fumo e mais de 400 cientistas e engenheiros estão dedicados à investigação e desenvolvimento. Recentemente, a PMI lançou a iniciativa “Desfume o seu Mundo”, concebida para transmitir uma mensagem clara e simples aos adultos que fumam atualmente e aos que não fumam: se não fuma, não comece; Se fuma, deixe; Se não quer deixar, mude.