May 14, 2018

Relatório de sustentabilidade da Philip Morris International mostra consistência na sua transformação em direção um futuro sem fumo

news-pt

LAUSANNE, Suíça - 15 de maio de 2018 - A Philip Morris International Inc. (“PMI”) publicou o seu terceiro Relatório de Sustentabilidade (2017), que enuncia as medidas concretas que estão a ser tomadas no sentido de transformar radicalmente o negócio, colocando os produtos sem fumo no âmago dos seus esforços de sustentabilidade para dar resposta às preocupações da sociedade, impulsionar a excelência operacional, gerir o seu impacto social e reduzir a pegada ambiental. O compromisso e a ambição da PMI é substituir os cigarros tão breve quanto possível por alternativas menos prejudiciais para os milhões de homens e mulheres que de outra forma continuarão a fumar.

No relatório, a PMI apresenta uma visão mais abrangente das suas atividades de sustentabilidade. Com vista a uma maior transparência e a facilitar a avaliação do seu progresso, a PMI incluiu também um conjunto mais completo de métricas e de dados de tendência. Além disso, dando resposta às sugestões que suscitou o anterior relatório, é disponibilizada mais informação de contexto sobre o negócio e a forma como é gerida a sustentabilidade.

Do conjunto de métricas de transformação do negócio para monitorizar o progresso no que diz respeito à meta estabelecida de um futuro livre de fumo, em 2017 destacaram-se os seguintes:

- A alocação de recursos com os produtos sem fumo representou 74 % da despesa com Investigação & Desenvolvimento e 39 % da despesa comercial global.

- Os produtos sem fumo1 representaram aproximadamente 4,4 % do volume de distribuição da PMI e cerca de 13 % das receitas líquidas, excluindo os impostos sobre o consumo.

- Estima-se que até final do ano mais de 4,7 milhões de fumadores adultos substituíram os cigarros por IQOS2 (o principal produto sem combustão da PMI), sendo que aproximadamente mais 10.000 consumidores estão a fazer essa transição todos os dias.

 

O relatório também inclui uma visão geral dos esforços de sustentabilidade mais abrangentes da PMI para criar valor a longo prazo, desde a forma como está a abordar os impactos social e ambiental até à gestão do impacto da transformação na cadeia de valor da PMI e na excelência da sua forma de operar. O progresso fundamental em 2017 inclui os seguintes aspetos:

- Mais de um terço, 34,4 %, dos cargos de gestão na PMI detidos por mulheres, indicando progresso face à meta estabelecida pela empresa de atingir os 40 por cento até 2022.

- Implementação dos Princípios de Aprovisionamento Responsável da PMI para ajudar a identificar e a gerir as questões laborais na sua cadeia de valor não agrícola.

- Reconhecimento pelo quarto ano consecutivo por parte do CDP pelo seu trabalho nas áreas das alterações climáticas e do consumo da água (neste último caso, pela primeira vez).3

 

No que diz respeito à excelência operacional, a PMI mantém-se concentrada em garantir a integridade da sua cadeia de valor através de esforços para enfrentar o comércio ilícito de produtos do tabaco, impulsionando ainda mais a transparência através da publicação da sua abordagem ao imposto sobre as sociedades e à privacidade dos dados, bem como de uma visão global dos seus Princípios de Comercialização e Princípios de Envolvimento com terceiros.

O progresso feito pela PMI é uma clara indicação da sua ambição em termos de sustentabilidade. A PMI está empenhada na transformação do seu negócio, conseguindo atingir a sua meta de redução de CO₂, melhorando a área de inclusão e diversidade, indo ao encontro dos objetivos fundamentais e fortalecendo a administração da gestão da sua sustentabilidade.

O relatório também realça que é essencial avançar, reduzindo a pegada ambiental do processo de fabrico dos produtos sem combustão, promovendo a diversificação de culturas entre os agricultores de tabaco e equipando os colaboradores da PMI para conseguirem transformar a empresa com sucesso.

 

O relatório completo está disponível aqui. Comentários sobre o relatório podem ser enviados para sustainablity@pmi.com.


1 Inclui produtos de tabaco aquecido e cigarros eletrónicos

2 Situação no final de dezembro de 2017, refletindo a nova metodologia da PMI. Nos mercados em que o IQOS é o único produto do tabaco aquecido, o consumo diário individual das unidades de tabaco aquecido da PMI representa a totalidade do seu consumo diário de tabaco. Nos mercados em que o IQOS se encontra entre outros produtos do tabaco aquecido, o consumo diário individual das unidades de tabaco aquecido representa a totalidade do seu consumo diário de tabaco, em que pelo menos 70 por cento são unidades de tabaco aquecido da PMI.

3 O CDP, anteriormente conhecido como o Carbon Disclosure Project, é a organização internacional líder sem fins lucrativos que avalia o trabalho das empresas de todo o mundo nas áreas das alterações climáticas e da água.

share this story